Migrar para nuvem. Afinal, devo migrar?

A pressão aumenta nas empresas para modernizar seu parque tecnológico através da computação em nuvem, a medida que avançamos com a Economia e Transformação Digital. Porém, cada empresa está num estágio diferente de maturidade de TI/negócios e muitas vezes migrar para a nuvem não é a solução em determinados momentos.

Nesse momento, gestores e times de TI avaliam a decisão de realizar ou não a migração, mesmo levando em consideração os benefícios tão conhecidos como redução de custos e acesso a tecnologia de ponta. O que fazer diante deste cenário?

Apesar das vantagens estratégicas da nuvem, é preciso sempre avaliar

Ao avaliar a possibilidade de migrar uma infraestrutura de tecnologia, que na maioria das vezes está consolidada na organização, mesmo que deficitária em determinadas momentos, os gestores e times de tecnologia devem estar conscientes de suas metas e objetivos de negócios ao avaliar o risco operacional de seus aplicativos.

Outro objetivo fundamental é garantir que suas equipes de TI estejam prontas para fazer a mudança para a nuvem. E isso inclui maneiras de avaliar os verdadeiros custos associados à migração na nuvem e seus resultados de investimento e as habilidades necessárias para criar uma equipe de nuvem bem-sucedida.

Pensando nisso, separamos quatro pontos-chave que devem considerados por CIO’s de uma organização antes de mudar para a nuvem.

Quais são os pontos que os CIOs devem considerar antes de fazer a mudança para a nuvem?

  1. Comece com sua estratégia de negócios

Mover uma infraestrutura para nuvem é um desafio e a responsabilidade da decisão não pode ser apenas de TI. É uma decisão de negócios. Ter uma compreensão clara das metas e objetivos de sua empresa é o primeiro passo para saber se a nuvem é a opção certa para você.

Neste momento, comece sua análise a partir das melhorias que podem ser obtidas para a empresa. Sejam elas estratégicas, financeiros ou focados no cliente. Entenda as vantagens que sua organização não tem atualmente, os desafios que você enfrenta e defina o que você precisa para superá-los.

Esses fatores podem ser orientados à infraestrutura ou até mesmo relacionados aos processos de negócios, mas o importante é saber onde estão seus pontos fracos e onde você precisa melhorar em relação aos negócios.

  1. Avalie as operações críticas

Avaliar as operações críticas de seus aplicativos corporativos e operacionais para a mudança para a nuvem determinará sua capacidade de aproveitar ao máximo os benefícios da computação em nuvem.

Para a maioria das aplicações, não será tão simples realizar uma mudança. Faça a análise de aspectos como armazenamento e rede na nuvem, todos eles serão implementados de forma diferente durante a migração. Além disso, muitos serviços adicionais serão necessários para que os aplicativos estejam prontos para a nuvem.

Leve em consideração a complexidade de design e integração de cada aplicativo para entender suas dependências, a quantidade de retrabalho necessária e sua criticidade para a migração na nuvem. Além disso, não esqueça de considerar critérios técnicos como sistema operacional do host e sua compatibilidade com seus aplicativos.

  1. Verifique os custos de migração

Os custos são um elemento óbvio na equação e os principais provedores de nuvem têm calculadoras de preços que podem ajudá-lo a estimar os custos reais que você enfrentará após a migração na nuvem. Não esqueça também de colocar na ponta do lápis o seu levantamento os custos desde o planejamento, a execução da migração e o pós migração, o que inclui um eficiente suporte durante a transição.

  1. Certifique cultura e habilidades

Finalmente em nossa lista, mas igualmente importante, a cultura da empresa e as habilidade necessárias das equipes para apoiar sua estratégia de nuvem. As funções dos arquitetos de TI, desenvolvedores e engenheiros, e as habilidades exigidas que serão fundamentais em todo o processo de adoção da nuvem.

Podemos resumir essa avaliação em três pontos fundamentais para decisão final da migração para a nuvem: retorno sobre o investimento (ROI), capacidade e viabilidade técnica. No aspecto técnico, as equipes devem avaliar questões operacionais, determinar quais cargas de trabalho e aplicativos podem ser migrados e suas adaptações.

Assim, ao colocar todas os resultados na mesa, gestores e corpo técnico terão condições de tomar a decisão final de forma alcançar metas e objetivos estratégicos da organização, visando crescimento e participação na Transformação e Economia Digital.

Somos especializados em otimizar e atender a necessidade do seu negócio. A OST garante a continuidade de suas operações, fornecendo soluções avançadas de infraestrutura para ambientes de missão crítica com inovação, excelência e qualidade no serviço.

Sobre o Autor

administrador

0 Comentários