Gerenciamento e armazenamento - Por que as práticas de governança são importantes para empresas

Os requisitos de conformidade e as preocupações com a privacidade há muito colocam a governança de dados na vanguarda das iniciativas de TI, tanto para a equipe de tecnologia quanto para os executivos de negócios.

Hoje, as práticas de governança de dados são consideradas mais importantes do que nunca para empresas em todo Brasil, principalmente após a aprovação da Lei Geral de Proteção de Dados e a adoção da cultura da inovação, com métodos ágeis e atualização/melhoria constante de produtos.

As sanções administrativas da LGPD entram em vigor em agosto de 2021 e incluem regras estritas para proteger os dados e a privacidade de seus proprietários e grandes penalidades por não conformidade.

Esse é um ponto importante já que o tratamento de dados já disponíveis afasta a necessidade de acesso a dados questionáveis em terceiras fontes.

De fato, todos os dados brutos no ambiente de TI corporativo de hoje podem ter valor estratégico e estão sob a alçada das iniciativas da governança de dados e tratamento pela ciência de dados.

A implementação de melhores práticas ajudam as empresas a entender todos esses dados para que possam convertê-los em insights acionáveis ​​que beneficiam as operações comerciais.

Construindo uma estrutura eficaz de governança de dados

A governança eficaz de dados desempenha uma função importante na empresa, definindo os parâmetros para gerenciamento e uso de dados, criando processos para resolver problemas de dados e permitindo que os usuários de negócios tomem decisões com base em dados de alta qualidade e ativos de informações bem gerenciados.

Mas implementar uma estrutura de governança de dados não é fácil. Fatores complicadores geralmente entram em jogo, como perguntas sobre propriedade de dados, inconsistências de dados em diferentes departamentos e a crescente coleta e uso de big data nas empresas.

Independente de uma organização contratar administradores de dados em tempo integral ou delegar responsabilidades de administração a funcionários existentes, as unidades de negócios às vezes relutam em aceitar o novo acordo para manter as definições de dados e aplicar políticas de uso de dados.

Em um ambiente ideal, todos os usuários adotam uma abordagem voltada à administração e assumem a responsabilidade de manipular dados de uma maneira que atenda às necessidades imediatas dos negócios, bem como aos requisitos gerais da empresa em termos de qualidade e consistência dos dados.

Os processos de gerenciamento de dados precisam estar sintonizados com a cultura corporativa de uma organização, a fim de ajudar a promover a adoção e a conformidade.

Por isso, o desenvolvimento de uma estratégia de governança de dados bem-sucedida requer um planejamento cuidadoso, as pessoas certas e ferramentas e tecnologias apropriadas.

Governança de dados e as tecnologias emergentes

Espera-se que a importância estratégica das tecnologias emergentes, como Inteligência Artificial, Blockchain, Computação em Nuvem e IoT, para a governança de dados cresça, uma vez que as empresas aumentam massivamente a quantidade de dados que geram todos os dias.

O aumento na quantidade de informações, que as tecnologias emergentes estão produzindo, também significa que haverá mais pressão organizacional na área de TI para garantir que os dados sejam gerenciados e analisados ​​com eficácia.

A implementação de melhores práticas de governança de dados ajudará a garantir, entre outras coisas, que sua organização permaneça alinhada com os padrões e regulamentos de conformidade, integridade e privacidade de dados.

Não fazer isso pode se tornar caro, especialmente para qualquer organização que entre em conflito com a LGPD.

Desafios para uma melhor governança de dados

Desenvolver um programa de governança de dados forte e ágil está longe de ser fácil, mesmo quando há um forte desejo de fazê-lo. Para iniciantes, muitas organizações ainda não sabem lidar com os dados existentes e onde eles estão alocados na empresa.

Além disso, muitas empresas ainda lutam para entender quais requisitos legais se aplicam a elas, quais práticas recomendadas devem adotar e como equilibrar os programas de privacidade e segurança de dados com os riscos e as restrições de recursos. Esse exercício é ainda mais complexo em razão do ambiente regulatório e legal inovar e mudar constantemente.

Enquanto isso, muitas organizações lutam com os aspectos mais complexos das leis de privacidade de dados e as melhores práticas emergentes, a exemplo da forma como devem lidar com solicitações individuais de clientes para revisar ou excluir as informações que a organização possui sobre eles.

Como resultado, especialistas apontam que os executivos de governança de dados – e de fato todos os executivos –, devem ver a governança de dados como uma disciplina em constante evolução e como meio de otimização das suas atividades.

Enxergar com clareza seu cliente, seus hábitos e necessidades se torna assim uma necessidade primária.

Eles devem equilibrar os requisitos regulamentares, as melhores práticas, os riscos e os recursos disponíveis à medida que estiverem presentes e reconhecer que cada organização tem seu próprio ato de equilíbrio único para executar.

Para saber mais sobre como as empresas podem adotar as melhores práticas de governança ao gerenciamento e armazenamento de dados, entre em contato com os especialistas da OST.

Sobre a OST

Desde 1995 no mercado, a OST atende com excelência fornecendo soluções de infraestrutura, auxiliando organizações públicas e privadas a garantirem a continuidade de seus negócios.

Somos especializados em otimizar e atender a necessidade do seu negócio. A OST garante a continuidade de suas operações, fornecendo soluções avançadas de infraestrutura para ambientes de missão crítica com inovação, excelência e qualidade no serviço.