Como evitar ransomware: 3 etapas principais para proteger os ativos

O custo da recuperação de ataques de ransomware bem-sucedidos está aumentando. De acordo com o relatório The State of Ransomware 2021 da empresa de segurança cibernética Sophos, o custo total médio de recuperação de um ataque de ransomware mais que dobrou no ano passado, de $ 761.106 em 2020 para $ 1,85 milhão em 2021.
Outra notícia preocupante, o estudo da Sophos também descobriu que apenas 8% das organizações que pagaram o resgate recuperaram todos os seus dados e 29% não recuperaram mais da metade de seus dados.
Portanto, o cenário de ameaças cibernéticas de hoje torna os ataques de ransomware quase inevitáveis. Embora a detecção e a prevenção sejam as principais prioridades das equipes de segurança de TI, a realidade é que você deve estar pronto com uma estratégia de defesa proativa e um plano testado vigorosamente para orquestrar a recuperação.

O que incluir em uma estratégia proativa de defesa contra ransomware

Implementar e aplicar práticas recomendadas de segurança cibernética e proteção de dados ajudará a proteger vulnerabilidades comuns da exploração. Por isso, separamos as principais práticas recomendadas de prevenção de ransomware para reforçar as defesas de sua empresa e evitar que ela seja vítima desse ataque que se torna cada dia mais comum.

  1. Implante autenticação de usuário resistente a ataques

Muitos ataques de ransomware bem-sucedidos conseguem sua posição inicial na rede da vítima ao decifrar ou roubar credenciais pertencentes a uma conta válida. Para evitar isso com eficácia, são necessárias credenciais de autenticação de usuário robustas, difíceis de adivinhar, quebrar ou roubar.
No ataque bem-sucedido no início deste ano a Colonial Pipeline, por exemplo, o acesso a uma conta válida forneceu aos atacantes a entrada inicial. Da mesma forma, o ponto de entrada de outros tipos de ransomware é muitas vezes uma senha roubada para um sistema voltado para a Internet acessado via RDP ou login em uma conta com uma senha fraca.
As abordagens tradicionais de autenticação multifator (MFA) ajudam a resolver as vulnerabilidades de segurança inerentes às senhas, mas ainda dependem fundamentalmente de algo que um usuário humano deve lembrar e saber, e as abordagens por telefone não são 100% seguras.
A autenticação multifator avançada evita o roubo de credenciais e torna a adivinhação de senhas uma impossibilidade para os invasores. Na prática, MFA usa vários fatores de autenticação, mas exclui as senhas tradicionais. Os fatores de autenticação mais comumente usados ​​para autenticação multifator são o dispositivo móvel registrado do usuário, junto com um PIN ou impressão digital por meio do sensor de impressão digital integrado do dispositivo.
Ao eliminar a necessidade de senhas tradicionais, a segurança é imediata e inerentemente aprimorada, a experiência do usuário é simplificada e os custos são controlados.

  1. Adote soluções de Detecção e Resposta Estendida (XDR) 

De fato, ter medidas preventivas em vigor não garante que os invasores nunca vão penetrar no perímetro e obter acesso ao dispositivo de um usuário. Sua próxima linha de defesa é um mecanismo autônomo de proteção, detecção e resposta que possa detectar e conter atividades suspeitas no nível do endpoint, antes que ocorra qualquer perda de dados, financeira ou investimento de tempo.
As soluções modernas de Detecção e Resposta Estendida (XDR) monitoram os processos locais em tempo real e analisam detalhadamente seus comportamentos, possibilitando identificar códigos maliciosos com especificidade muito alta e tomar medidas imediatas de mitigação.
Dessa forma, o ataque é interrompido no momento em que começa, antes que os agentes da ameaça possam acessar seus alvos desejados, seja executado da memória local ou remotamente.

  1. Adote e garanta a eficiência de uma estratégia de backup e recuperação

Os backups se tornaram vitais para garantir que as operações continuem em momentos de desligamento ou ataque. Com estratégias de backup adequadas implementadas e testes periódicos, as organizações estão melhor posicionadas para se recuperar de um evento cibernético com sucesso.
A melhor estratégia de backup envolve o uso de uma abordagem em várias camadas. A técnica de backup 3-2-1 ajuda a proteger dados valiosos em caso de desastre ou violação.

Veja como sua empresa pode implementar a estratégia de backup 3-2-1:

  • Manter três (3) cópias dos dados
  • Use dois (2) tipos diferentes de mídia de armazenamento
  • Armazene uma (1) cópia em um local externo

Diversificar as estratégias de backup pode garantir que os dados sejam recuperáveis, independentemente do tipo de desastre ou circunstância.

Além disso, os backups de dados devem ser agendados e verificados continuamente para garantir que os dados sejam gerenciados de forma adequada. Quer seja diário, semanal ou mensal, as empresas devem manter os dados com backup suficiente para gerenciá-los com segurança.
Os backups de dados geralmente falham devido a arquivos corrompidos ou backups incompletos. Testar backups é um componente crítico de segurança e recuperação de dados. Backups de dados insuficientes podem ter um impacto devastador nas empresas.

A prevenção de ataques de ransomware requer a implementação de políticas de segurança em toda a organização

Ransomware e malware visam vulnerabilidades em seus sistemas, redes, software, aplicativos e até mesmo em seus funcionários. Manter os firewalls de segurança e o software antivírus atualizados é apenas a primeira linha de defesa para identificar e interromper a origem dos eventos de ransomware.
A educação em segurança para ajudar os funcionários a identificar e-mails maliciosos também ajudará na proteção contra ataques de ransomware. Até 94% do malware é entregue por e-mail, portanto, a melhor maneira de evitar que esses arquivos maliciosos entrem em seu ambiente é treinar as pessoas que os recebem.

Tribunal regional eleitoral de rondônia moderniza data center e aumenta a segurança e agilidade com soluções VMWARE

O Tribunal Regional Eleitoral de Rondônia (TRE-RO) é responsável pelas atividades de preparação e execução das eleições no Estado. Em março de 2014, uma enchente recorde do rio Madeira invadiu o prédio sede e anexos, chegando a um metro e meio de altura dentro do antigo Data Center, no térreo do edifício sede, paralisando todas as atividades externas da Justiça Eleitoral no Estado. Para solucionar o problema e aprimorar a gestão da infraestrutura de TI, dos dados e disponibilidade de serviços aos eleitores em todo o Estado de Rondônia, o TRE-RO adotou soluções da VMware.

 

O Tribunal Regional Eleitoral de Rondônia (TRE-RO) é responsável por todo o processo eleitoral do Estado, e tem como prioridade garantir a legitimidade e alcançar a excelência nas eleições. O estado possui 52 municípios, 29 Zonas Eleitorais, 1.190.505 eleitores aptos, distribuídos em 4.724 seções.

O desafio

O TRE-RO já estudava adotar uma solução de site backup. Com equipe reduzida, outras ações sempre acabavam sendo priorizadas até que, em 2014, uma enchente histórica fez com que toda infraestrutura de TI fosse completamente paralisada durante cinco dias. Este episódio foi essencial para a decisão de instalar um segundo site de forma a garantir a continuidade do negócio e a segurança das informações. Para garantir a disponibilidade do TRE-RO 24 horas nos sete dias da semana eles decidiram adotar uma solução completa de Software-Defined Data Center da VMware.

A solução

O TRE-RO já usava soluções da VMware desde 2009, e decidiu implementar a tecnologia de hiperconvergência da companhia, pela facilidade de integração e desacoplamento do hardware. Investiu também em uma solução de site recovery management, para garantir a duplicação das informações e, consequentemente, o funcionamento da operação, e no NSX, solução de redes e segurança. Juntas, as tecnologias, possibilitaram a microssegmentação da rede, economia de energia e tempo nos processos por meio da automatização deles, além de uma maior disponibilidade dos serviços suportados pela equipe de infraestrutura.

“Temos uma equipe reduzida e contar com o apoio da área de Professional Services da VMware na implementação, foi decisivo na escolha. Além disso, os treinamentos oferecidos a toda equipe garantiram um melhor aproveitamento diário das soluções”, explica Filipe Teixeira, chefe da seção de infraestrutura e comunicação do TRE-RO.

Grupo fleury moderniza infraestrutura e garante aumento de desempenho

O Grupo Fleury é referência em medicina e saúde no Brasil, com atividade em150 unidades distribuídas por seis estados. Em 2018, após realização de auditorias, a organização detectou a necessidade de reestruturar seu data center e implementou soluções de Hiperconvergência (vSAN), Site Recovery Manager (SRM) e o software de virtualização de rede e segurança (NSX) da VMware, o que permitiu a modernização da infraestrutura e a criação de umnovo pilar de tecnologia para sustentar os negócios, além de impactardiretamente na melhora de performance e da experiência do cliente.

O Grupo Fleury é uma das mais respeitadas organizações de medicina e saúde do Brasil. Possuicerca de 150 unidades de atendimento distribuídas em seis estados, além do Distrito Federal, e mais de 10 mil profi ssionais dedicados a levar o melhor da medicina diagnóstica aos seus pacientes, com excelência médica, técnica, de atendimento e em gestão.

O desafio

Em 2018, o Fleury passou por auditorias internas que apontaram demandas na complexidade e disponibilidade do seu ambiente de TI. Foi, então, realizado um mapeamento de possíveis riscos para os negócios, no qual foi concluído que se os sistemas fi cassem fora do ar por determinado tempo as operações seriam impactadas. Para garantir a sustentabilidade do negócio, o Grupo precisava modernizar seu data center, mantê-lo seguro e em funcionamento 24h por dia, sete dias por semana.

A solução

Quando defi niu que realizaria o reforço de sua infraestrutura de data center, o Fleury contou com o apoio da OST Informática Ltda, integradora de soluções para ambientes de missão crítica e parceira da VMware há mais de 10 anos. O Grupo, que já trabalhava com o vSphere, adotou então as soluções de Hiperconvergência (vSAN) e Site Recovery Manager (SRM), integrando e potencializando o sistema que já estava em operação. A solução de Hiperconvergência (vSAN) teve impacto importante em relação à manutenção da continuidade e da disponibilidade dos negócios mesmo em caso de queda do sistema. Desta maneira, garantiu ao Fleury redundância e mobilidade das aplicações entre os sites, além de tornar possível a criação de novos pilares de arquiteturas que garantem o funcionamento do ambiente.

O Site Recovery Manager (SRM) funciona como um apoio à organização em casos emergenciais. Caso ocorram falhas em um dos data centers, por exemplo, essa solução resgata as informações no outro data center ao “aperto de um botão”, garantindo a continuidade da operação. Já o software de virtualização de rede e segurança (NSX) entrega agilidade e uma plataforma segura que permite abstrair toda a parte de rede pra tornar a ativação mais rápida e mais simples.

Benefícios de negócio

Essa modernização, que durou cerca de um ano, permitiu o destaque do Grupo perante o mercado como um laboratório moderno e inovador. Prova disso é o ganho de agilidade. Segundo Josiel Santos, CTO da OST Informática, as operações de recuperação de desastres fi caram mais rápidas e simples. “A movimentação das cargas de trabalho de um data center para o outro, dependendo do volume, demorava de horas até dias. Agora, demora apenas alguns minutos”, explica.

A implementação das soluções também gerou impacto positivo na redução de custos e na segurança do ambiente, segundo Manoel Arthur Vaz, gerente sênior de Tecnologia do Fleury. “O ganho operacional foi enorme. Retiramos uma série de complicadores, a complexidade diminuiu e o ambiente ficou mais simples e seguro. Além disso, as soluções possibilitaram redundância, alta disponibilidade e mobilidade das aplicações entre os sites”, comenta.

Essa melhoria, também impactou positivamente a experiência dos clientes e dos funcionários do Grupo. Segundo Vaz, agora é possível seguir o ciclo de vida e de estadia do paciente no Fleury. Todos os sistemas passaram a ser rodados em data centers replicados, utilizando as soluções da VMware, garantindo o funcionamento 24×7, eliminando assim, impactos por falta de sistema no atendimento ao cliente.

O executivo reforça ainda os ganhos de imagem para a instituição. “As soluções permitiram que o Fleury se modernizasse e isso refl etiu nos negócios, porque a marca passou a aparecer mais perante o mercado como um laboratório moderno e inovador. Criamos também um pilar novo de tecnologia para sustentar os negócios na próxima década. O Fleury, assim, conseguirá alçar voos mais altos”, explica Manoel Arthur Vaz, gerente sênior de Tecnologia do Fleury.

Próximos passos

Para 2020, o Grupo Fleury terá como foco a nuvem. A organização irá implementar um terceiro data center, desta vez em cloud, com o objetivo de movimentar as cargas de trabalho junto aos dois data centers on premise. Para o longo prazo, a intenção é operar em multicloud.

 

 

Como a pandemia impactou o setor de saúde

A medicina é uma ciência que se orgulha de investir continuamente em novas descobertas, e a pandemia do coronavírus foi um grande desafio que comprovou a resiliência do setor.

Nos últimos anos, vimos a medicina abraçar algoritmos de inteligência artificial que leem radiografias tão bem quanto os radiologistas, sequenciamento genômico que pode orientar tratamentos personalizados de câncer e grandes melhorias no gerenciamento da saúde da população por meio de Big Data e análises preditivas — isso para citar apenas alguns exemplos.

Embora a pandemia da COVID-19 tenha colocado demandas incomparáveis nos sistemas de saúde modernos, a resposta da indústria demonstrou claramente sua capacidade de trazer inovações ao mercado rapidamente. 

Abaixo, listamos 6 avanços que o setor de saúde vivenciou durante a pandemia e que prometem continuar impactando o setor mesmo após o fim da crise sanitária. Acompanhe!

1. Análise preditiva e inteligência de negócios

A pandemia destacou como é importante para os profissionais de saúde olharem para frente e se prepararem para as crises. Como os picos nos casos da COVID-19 têm o potencial de sobrecarregar hospitais e criar escassez de medicamentos e equipamentos, os profissionais de saúde experimentaram formas inovadoras de prever a localização e a gravidade dos aumentos futuros em casos de COVID-19. 

Os sistemas de saúde estão fazendo investimentos estratégicos em programas de inteligência de negócios para entender melhor os pacientes e oferecer uma melhor experiência. Os sistemas podem alavancar percepções usando dados clínicos, financeiros e operacionais juntamente com feedback do paciente para construir uma imagem completa de como eles interagem com a organização. 

Os médicos podem usar inteligência de negócios para ajudar a coordenar os planos de tratamento com base nos sintomas, identificar pacientes para acompanhamento e monitorar as taxas de readmissão. No lado operacional, a inteligência de negócios pode ajudar a coordenar as programações da equipe e otimizar a cadeia de suprimentos.

2. Sistemas digitais de atendimento

Durante a era do distanciamento social, a forma como os consumidores interagem com as empresas mudou e eles passaram a colocar mais valor na experiência digital. O mesmo é verdade para hospitais e empresas de saúde; muitos agora veem seus sistemas digitais de atendimento como a primeira impressão que os pacientes em potencial têm.

A experiência que os pacientes têm online pode fazer ou destruir uma reputação — e após a pandemia da COVID-19 eles estão ainda mais ávidos por resolver seus problemas pela internet. Essa experiência inclui o site e o aplicativo móvel, que devem possuir funções como portal do paciente, agendamento de consultas, consultas online e materiais educativos.

3. Atendimento médico remoto

No início da pandemia, quando os governos estaduais e locais em todo o país emitiram diretrizes de distanciamento social e ordens de permanência em casa para mitigar a disseminação do coronavírus, a telessaúde se tornou uma tábua de salvação para o atendimento ao paciente. Auxiliados pelo relaxamento das regulamentações da OMS, muitos hospitais e sistemas de saúde lançaram e expandiram programas de telessaúde em questão de dias.

Em resposta à rápida demanda de acesso, os provedores passaram a usar plataformas como FaceTime e Zoom para visitas virtuais que cobrem uma ampla gama de condições, desde atendimento de urgência, check-ups na atenção primária, acompanhamento de medicamentos e triagens COVID-19.

4. Bots de Inteligência Artificial

O público tem experimentado uma necessidade cada vez maior de informações e orientações confiáveis ​​sobre saúde durante a pandemia, e o tempo dos especialistas clínicos é mais precioso do que nunca. O uso de chatbots de inteligência artificial, que fornecem aos pacientes uma comunicação essencial, cresceu nesse meio. 

Ao empregar o processamento de máquina para educar e assistir os pacientes durante este período de grande demanda de informações, os provedores de saúde foram capazes de alcançar os pacientes de forma mais eficiente e — em alguns casos — fazer a triagem de suas necessidades.

As soluções de saúde digital podem ajudar na prevenção, triagem e monitoramento da COVID-19. As empresas de saúde têm empregado uma abordagem holística que integra uma vasta gama de ferramentas para entregar de forma inteligente campanhas de divulgação proativas, triagem digital por meio de bots e encaminhamento para o atendimento remoto.

5. Robótica

A pandemia forçou os profissionais de saúde a reduzir o contato pessoal com os pacientes tanto quanto possível para mitigar a disseminação da COVID-19. Muitos sistemas de saúde estão empregando tecnologia robótica para tratar os pacientes sem que um membro da equipe clínica tenha que entrar em seu quarto. Os hospitais também estão explorando maneiras como a robótica pode ser usada para combater diretamente o novo coronavírus.

Os robôs também desempenham um papel importante no atendimento ao paciente em alguns hospitais. A tecnologia robótica pode realizar tarefas simples no quarto do paciente para preservar a equipe e o EPI durante a pandemia. Em alguns casos, o robô pode incluir uma tela com o rosto ou voz de uma enfermeira ou profissional de saúde para se conectar com os pacientes em um nível humano.

6. Rastreamento digital de contatos

As tecnologias de rastreamento de dados surgiram como uma forma de aprimorar os esforços tradicionais de rastreamento de contatos. Em maio, a Apple e o Google lançaram sua API interoperável desenvolvida em conjunto, que permite que governos e agências de saúde rastreiem a disseminação do COVID-19 usando a tecnologia Bluetooth.

A pandemia também estimulou a inovação em plataformas de monitoramento remoto em hospitais e sistemas de saúde. Para continuar cuidando de pacientes que não precisam mais de hospitalização, um programa de monitoramento remoto pode transmitir automaticamente os dados de dispositivos vestíveis nos pacientes e os carregar em um painel que os provedores podem monitorar e usar para intervir quando necessário. 

O setor de saúde foi permanentemente impactado pela pandemia do coronavírus. Mas essas inovações mostram que a indústria está preparada para crescer e encontrar novas soluções para oferecer o melhor atendimento possível, independentemente das circunstâncias.

Para continuar aprendendo sobre as principais inovações no setor de saúde, acompanhe nosso blog e veja todas as nossas novidades!

Como garantir a eficiência no atendimento médico remoto

O atendimento médico remoto se refere ao uso da tecnologia para oferecer suporte a uma ampla gama de serviços de saúde remotamente, como atendimento e monitoramento do paciente. Nos últimos anos, a adoção do atendimento remoto cresceu e foi especialmente acelerada pela pandemia, quando as consultas online ganharam popularidade para evitar contato físico com pessoas suspeitas de estarem contaminadas com a COVID-19.

No entanto, mesmo após o fim da pandemia, espera-se que o atendimento médico remoto continue ganhando força, dado o potencial disruptivo que esse modelo apresenta, com o potencial de transformar a indústria, reduzindo custos e aumentando a qualidade e a satisfação do paciente. 

Para isso, contudo, a tecnologia deve ser integrada às práticas tradicionais ambulatoriais e hospitalares para atingir todo o seu potencial, incluindo abordar os seis domínios de qualidade de atendimento: ser seguro, eficaz, centrado no paciente, oportuno, eficiente e equitativo.

Este artigo descreve as estratégias essenciais para a implementação bem-sucedida do atendimento médico remoto e os benefícios que essa implementação pode trazer para as instituições de saúde e para os pacientes. Acompanhe!

Atendimento médico remoto: o que é e como funciona?

O setor de saúde está evoluindo em um ritmo rápido, à medida que profissionais e instituições procuram maneiras de aumentar o acesso de seus pacientes aos cuidados, ao mesmo tempo que diminuem o custo geral dos cuidados de saúde. Felizmente, a tecnologia digital está tornando mais fácil para os profissionais de saúde se comunicarem com seus pacientes, quebrando as barreiras que podem impedir o acesso do paciente aos cuidados médicos.

Com a ajuda de videoconferência, áudio e mensagens instantâneas, os pacientes agora podem interagir com os profissionais de saúde no conforto de sua própria casa, tendo acesso a atendimento médico remoto. As consultas virtuais permitem que o paciente receba cuidados contínuos de seu médico quando uma visita pessoal não for estritamente necessária ou possível.

Os benefícios que isso oferece são inúmeros: quando somados às tecnologias de telemedicina, que permitem monitorar a evolução do quadro de cada paciente de perto, os provedores de saúde podem otimizar a experiência do paciente, aumentar seu bem-estar e, ao mesmo tempo, economizar custos internos.

O atendimento médico remoto acontece por meio de um serviço baseado na web, onde o paciente é guiado por uma série de perguntas. O médico ou enfermeiro pode prescrever medicamentos, sugerir estratégias de atendimento domiciliar ou recomendar cuidados médicos adicionais. 

Tecnologia que tornam o atendimento médico remoto possível

Várias tecnologias estão sendo implantadas para possibilitar o atendimento médico remoto. Elas incluem:

  • mHealth (saúde móvel): hoje, pesquisas mostram que temos mais de 1 smartphone por cidadão brasileiro. Esses e outros dispositivos móveis podem ser aproveitados para promover melhores resultados de saúde e maior acesso aos cuidados. A saúde móvel se refere a aplicativos e programas de saúde que os pacientes usam em seus smartphones, tablets ou laptops. Esses aplicativos permitem que os pacientes rastreiem dados de saúde, definam medicamentos e lembretes de compromissos e compartilhem informações com os médicos;
  • Videoconferência: os médicos estão eliminando distâncias e proporcionando acesso a pacientes que não podem viajar, marcando consultas utilizando plataformas de comunicação de vídeo em tempo real. A tecnologia de videoconferência tem sido utilizada para cuidar de pacientes localizados em áreas rurais, pacientes com dificuldade de locomoção ou para casos leves;
  • Monitoramento remoto do paciente: envolve a geração de relatórios, coleta, transmissão e avaliação dos dados de saúde do paciente por meio de dispositivos eletrônicos, como wearables (vestíveis), dispositivos móveis, aplicativos de smartphone e computadores. As tecnologias de monitoramento lembram os pacientes de se pesar e transmitir as medidas aos seus médicos. Vestíveis e outros dispositivos eletrônicos de monitoramento estão sendo usados ​​para coletar e transferir dados de sinais vitais, incluindo pressão arterial, estatísticas cardíacas, níveis de oxigênio e taxas respiratórias.

Quais os benefícios do atendimento médico remoto?

Apesar dos desafios atuais na saúde, há vários benefícios em aumentar o uso do atendimento médico remoto para atender à demanda por cuidados de saúde. Conveniência no atendimento, maior acesso, maior produtividade do trabalhador por não ter que se ausentar e se deslocar para ir às consultas, economia de custos e economia de tempo do médico são alguns exemplos dessas vantagens.

Por essas razões, provedores de saúde estão avançando com cada vez no uso da tecnologia para melhorar a experiência do paciente e, com isso, sua própria eficiência. Saiba mais sobre os principais benefícios do atendimento remoto para profissionais de saúde abaixo.

O atendimento médico remoto melhora os resultados dos pacientes

Gerenciar pacientes com condições crônicas pode ser desafiador devido ao tempo necessário para monitorá-los. A telemedicina pode melhorar os resultados da qualidade do paciente ao permitir um gerenciamento mais fácil da saúde crônica por meio de tecnologia remota. Isso é especialmente verdadeiro para pacientes que vivem em áreas rurais que, de outra forma, não seriam capazes de acessar especialistas de qualidade sem uma viagem significativa para unidades de saúde distantes;

O atendimento médico remoto reduz as reinternações hospitalares

Muitos pacientes fazem viagens desnecessárias (e de alto custo) para o pronto-socorro para obter os cuidados de que precisam. Com o aumento da ansiedade sobre os sintomas da COVID-19, muitas pessoas procuram atendimento imediato, o que aumenta o risco de exposição a algo sério. Em contraste, educar os pacientes sobre os cuidados de acompanhamento usando a tecnologia pode ajudar a reduzir as readmissões hospitalares (e custos). Além da redução de custos associada a taxas mais baixas de readmissão, instruções escritas após a alta hospitalar e comunicação contínua usando monitoramento remoto podem ajudá-los a gerenciar melhor sua condição longe de instalações de saúde;

O atendimento médico remoto aumenta o envolvimento e a satisfação do paciente

Embora a COVID-19 esteja na vanguarda da mente de todos, existem muitas outras condições de saúde para as quais os pacientes precisam de cuidados. No entanto, ir ao consultório médico pode causar ansiedade adicional e aumentar o risco de exposição a uma possível infecção, especialmente para pacientes de alto risco, como os imunocomprometidos ou aqueles com doenças preexistentes. É por isso que o atendimento remoto é uma ótima opção para os pacientes obterem os cuidados que precisam e desejam, no conforto e segurança de suas casas;

O atendimento médico remoto reduz os custos com saúde

A telemedicina permite redução dos custos operacionais e aumento da eficiência na utilização dos recursos, ao mesmo tempo que permite flexibilidade no horário de operação para melhor atender às necessidades da população de pacientes. Ao prestar cuidados remotamente, você não tem os mesmos custos indiretos que tem quando está atendendo os pacientes pessoalmente. 

Os processos de atendimento atuais são insuficientes para lidar com o desalinhamento entre oferta e demanda de prestadores de serviços de saúde. O uso de tecnologias de telemedicina e comunicação entre provedor e paciente pode criar um modelo de saúde conectado que garantirá a capacidade de melhorar o acesso e a qualidade do atendimento, ao mesmo tempo que diminui os custos.

Para saber mais sobre como a tecnologia impulsionará o atendimento médico no futuro, continue acompanhando nosso blog e veja todas as nossas novidades!