Hiperconvergência e nuvem híbrida: uma ou outra? E por que não as duas?

Hoje, a maioria das empresas está em processo de modernização de sua infraestrutura de TI e duas das principais tecnologias que estão adotando são a infraestrutura hiperconvergente (HCI) e a nuvem híbrida. 

No entanto, muitos profissionais de TI pensam que a Hiperconvergência e a nuvem híbrida estão em desacordo e que a HCI pode se tornar uma barreira para a adoção da nuvem híbrida. 

Porém, as soluções HCI integram-se perfeitamente com a maioria dos serviços de nuvem pública, de forma que as empresas que desejam se expandir além do data center para um ambiente de nuvem híbrida possam fazê-lo com menos custo, complexidade e risco.

Ambientes de nuvem híbrida podem usar sistemas de nuvem hiperconvergente

Quando se trata de saber se um sistema hiperconvergente pode ser usado como uma plataforma para um ambiente de nuvem híbrida, há dois motivos principais pelos quais a resposta não é direta. 

O primeiro motivo é que a tecnologia continua a evoluir e há fornecedores que estão trabalhando arduamente em produtos de nuvem híbrida que aproveitam a hiperconvergência. A segunda razão é porque existem várias definições para o termo nuvem híbrida.

Para entender a origem da complexidade e ambigüidade em torno da nuvem hiperconvergente, é necessário considerar a natureza dos sistemas hiperconvergentes.

Basicamente, os sistemas hiperconvergentes são vistos como “virtualização em uma caixa”. A ideia é que um sistema hiperconvergente consiste em nós que incluem recursos de armazenamento, computação e rede. 

O fornecedor acopla esses recursos a um hipervisor e uma camada de gerenciamento e, a seguir, certifica o pacote como um todo, garantindo que todas as partes individuais funcionem umas com as outras.

A princípio, a hiperconvergência pode parecer perfeita para o uso de nuvem híbrida. Nuvens híbridas são compostas de recursos de nuvem privada e recursos de nuvem pública. As nuvens privadas são baseadas na tecnologia de virtualização de servidor e a hiperconvergência foi projetada especificamente para atuar como uma plataforma de virtualização de servidor otimizada.

Alguns analistas escreveram que nuvem privada nada mais é do que um nome sofisticado para virtualização de servidor. Com base nessa definição, os sistemas de nuvem hiperconvergente são adequados para uso como plataformas de nuvem privada . No entanto, as nuvens privadas são mais comumente definidas como virtualização de servidor com uma camada de autoatendimento sobreposta a ela. 

Essa camada de autoatendimento permite que usuários autorizados criem máquinas virtuais com base em modelos predefinidos. Essa camada também pode fornecer funcionalidade adicional, como a previsão de aumento de capacidade.

Como a HCI forma uma base simples para nuvem híbrida

Velocidade para valor de negócios e simplicidade nas implantações têm sido os principais impulsionadores do crescimento constante em torno das soluções de HCI. Os operadores de TI agora buscam maior automação, inteligência integrada e segurança robusta, à medida que buscam essas abordagens para cargas de trabalho tradicionais e em nuvem.

As soluções de infraestrutura hiperconvergente oferecem uma maneira econômica para as empresas expandirem os data centers locais e uma maneira segura de entrar no mundo da computação em nuvem. 

Além de aprimorar a escalabilidade de um negócio, também há benefícios para agilidade de negócios e redução da sobrecarga de gerenciamento.

Um dos principais argumentos para adotar a computação em nuvem é sua eficiência de custo, mas muitas empresas consideram os custos mais altos do que o previsto originalmente. 

Isso não é surpreendente quando você adiciona o custo de migração, transferência de dados, serviços em nuvem e interrupção de negócios durante o processo de migração. Algumas empresas também encontram problemas de desempenho e segurança depois que as cargas de trabalho são migradas.

Após um período de tempo, os custos e problemas são mitigados devido à otimização da nuvem, mas histórias de custos iniciais significativos – e problemas de desempenho ou segurança – dissuadiram algumas empresas de adotar a nuvem pública. 

Em vez disso, eles procuraram outras maneiras de alcançar a escalabilidade, flexibilidade e agilidade da nuvem pública. Uma das alternativas mais populares para a migração de nuvem pública é uma solução de nuvem privada ou híbrida construída em infraestrutura hiperconvergente (HCI).

Sobre a OST

Desde 1995 no mercado, a OST atende com excelência fornecendo soluções de infraestrutura, auxiliando organizações públicas e privadas a garantirem a continuidade de seus negócios.

Somos especializados em otimizar e atender a necessidade do seu negócio. A OST garante a continuidade de suas operações, fornecendo soluções avançadas de infraestrutura para ambientes de missão crítica com inovação, excelência e qualidade no serviço. 

 

 

Para acelerar a transformação digital, o caminho para a nuvem híbrida deve ser simples, rápido e seguro

As iniciativas de transformação digital na maioria dos setores se aceleraram no ano passado, à medida que as organizações tiveram que se adaptar rápida e inesperadamente a um forte aumento na atividade de negócios online, trabalho remoto, modernização da cadeia de suprimentos digital e volatilidade econômica geral.

Este ano, 65% do PIB global será digitalizado, de acordo com o IDC. Em 2023, 75% das organizações terão roteiros abrangentes de transformação digital.

A nuvem híbrida foi e continua a ser um catalisador e facilitador dessa mudança. A nuvem híbrida fornece uma maneira para a TI abraçar os benefícios da agilidade, simplicidade e escalabilidade da nuvem pública sem sacrificar o controle, o desempenho e a segurança da infraestrutura local.

No entanto, embora as organizações precisem de agilidade para se adaptar às novas forças do mercado, elas não podem correr riscos em modelos não comprovados que interrompem as operações e resultam em custos imprevistos, sem entregar os benefícios prometidos. 

Conforme a transformação digital se acelera em todos os setores, as equipes de TI agora, mais do que nunca, estão sob pressão para encontrar o caminho mais rápido, simples e seguro para a nuvem híbrida. 

O que procurar em uma solução de nuvem híbrida

No ambiente de hoje, o caminho mais rápido, simples e seguro para a nuvem híbrida é usar ferramentas e tecnologias familiares em uma plataforma de nuvem híbrida que fornece um modelo operacional consistente e eficiências operacionais do data center a várias nuvens para locais de borda.

Além disso, como as organizações costumam implantar nuvem híbrida como um caminho para a modernização de aplicativos, outro fator importante é usar uma plataforma que ofereça suporte a aplicativos nativos da nuvem, como arquiteturas em contêineres e orquestração Kubernetes ao lado de arquiteturas de máquina virtual tradicionais.

Quando se trata de fornecer um caminho rápido, seguro, eficiente e moderno para a nuvem híbrida, o VMware Cloud Foundation oferece inovações e vantagens que não podem ser igualadas por outros fornecedores.

Essas vantagens resultam da profunda integração com a inovação da nuvem híbrida e infraestrutura hiperconvergente (HCI). Isso oferece uma experiência única, com implantação e gerenciamento de clusters a partir de uma única interface de usuário familiar, bem como gerenciamento de ciclo de vida automatizado de ponta a ponta para garantir que os clusters permaneçam em estados validados continuamente.

Os principais recursos e capacidades incluem:

Gerenciamento integrado do ciclo de vida de ponta a ponta

Um diferencial importante é a integridade da pilha completa. Isso significa que a camada HCI e a pilha de software em nuvem VMware estão profundamente integradas para fornecer uma plataforma única para gerenciamento de ciclo de vida automatizado e pronto para uso. 

Isso permite uma atualização e correção rápida e completa; atualizações de software e hardware como um sistema totalmente integrado e compatibilidade de versão validada, com a capacidade de pular lançamentos e patches.

Operações simplificadas, otimizadas e automatizadas

O VMware Cloud Foundation oferece muitos recursos exclusivos de integração desenvolvidos em conjunto que simplificam, otimizam e automatizam as operações de todo o data center definido por software

Além disso, os clientes do VMware Cloud Foundation podem capacitar o desenvolvimento de aplicativos nativos da nuvem em seus ambientes de nuvem híbrida, agora que o vSphere com Kubernetes está incluído como parte do VMware Cloud Foundation.

Benefícios comerciais da nuvem híbrida

Os benefícios comerciais da forte integração entre a tecnologia de nuvem híbrida e o VMware Cloud Foundation são excepcionais: de acordo com um estudo recente da IDC , os clientes da VMware Cloud Foundation alcançaram um retorno do investimento de 452% em cinco anos com 10 meses de retorno, um aumento de 114% em novos aplicativos desenvolvidos por ano.

Além disso, implantação 44% mais rápida de máquinas virtuais (VMs), 72% menores custos operacionais e um aumento de 66% na eficiência da equipe. 

A nuvem híbrida é um elemento essencial da modernização de TI e da transformação digital. As organizações podem obter vantagens de negócios significativas migrando de forma rápida, fácil e segura para a nuvem híbrida, usando ferramentas familiares e um modelo operacional comum do data center à nuvem até a borda. 

Sobre a OST

Desde 1995 no mercado, a OST atende com excelência fornecendo soluções de infraestrutura, auxiliando organizações públicas e privadas a garantirem a continuidade de seus negócios.

Somos especializados em otimizar e atender a necessidade do seu negócio. A OST garante a continuidade de suas operações, fornecendo soluções avançadas de infraestrutura para ambientes de missão crítica com inovação, excelência e qualidade no serviço. 

Três pontos principais em uma estratégia de recuperação de desastres na nuvem

Uma recuperação de desastres (DR) realmente eficiente pode ser um investimento de alto valor e bastante complexa para grande parte das empresas. Geralmente elas são adotadas por organizações mais robustas, a exemplo de bancos, departamentos governamentais e outros setores críticos.

Mas a necessidade de proteção contra interrupções é universal porque falhas de sistema, interrupções de energia ou rede, ataques cibernéticos, acidentes e desastres naturais podem destruir as operações de uma empresa, independente do seu setor de atuação ou tamanho. 

Pesquisadores do Uptime Institute, empresa americana certificadora de data center,  estimam que 44% das organizações sofreram uma grande interrupção recente que “impactou de forma tangível”. 

A pesquisa anual de data center global da Uptime em 2020 também sugere que as interrupções estão se tornando cada vez mais prejudiciais aos negócios.

A pesquisa do Uptime aponta que a maioria das interrupções pode ser evitada, sendo as falhas de energia a causa mais comum. Mas nenhuma organização pode remover todos os riscos. Em vez disso, eles precisam de uma estratégia eficaz para recuperar dados e restaurar seus sistemas de TI.

A computação em nuvem tem o potencial de tornar a recuperação de desastres mais acessível e, em alguns casos, mais simples. Algumas tecnologias de nuvem, especialmente software como serviço (SaaS), têm opções de backup e recuperação de desastres integradas.

O mercado de DR baseado em nuvem, ou DRaaS, deve valer globalmente US$ 4,9 bilhões em 2021, com uma taxa de crescimento de 16,7% até 2024, de acordo com a empresa de consultoria IDC.

A nuvem mudou a economia da recuperação de desastres

Alguns anos atrás, apenas as maiores organizações podiam implementar totalmente a DR porque era muito caro duplicar a infraestrutura e os sistemas, mesmo que fosse por meio de um provedor terceirizado.

O recurso mais atraente da recuperação de desastres baseado em nuvem é seu modelo sob demanda. Não há necessidade de comprar e manter hardware e outros ativos em caso de emergência.

Mas usar a nuvem para recuperação de desastres tem seus próprios custos e desafios.

Existem fornecedores especializados de DR para preencher a lacuna entre um ambiente de TI totalmente replicado e a nuvem, com a maior parte das taxas pagas ​​apenas se a empresa tiver que invocar o plano de DR. Mas, para os gerentes de TI, a decisão raramente é tão simples quanto copiar todos os dados para a nuvem.

Para uma estratégia de recuperação de desastres na nuvem mais eficiente, separamos três pontos principais que devem ser considerados pelos gestores de TI das empresas.

Custos

A nuvem remove dois custos significativos para recuperação de desastres: hardware e instalações. No entanto, esses custos são substituídos por taxas de serviço e uso. As empresas podem preferir custos contínuos em vez de despesas iniciais, mas para garantir a economia da DR, o projeto deve ser algo bem estudado durante a fase de planejamento e validação do ambiente a ser protegido.

Tal preocupação acontece com tudo em relação aos investimentos em TI, para a nuvem ou o ambiente local. É a decisão entre custos fixos / capex (despesas de capital) e custos recorrentes / opex (despesas operacionais) para a nuvem ou serviços gerenciados de DR. 

No entanto, uma das principais vantagens da nuvem sobre o autoprovisionamento interno para DR é o pagamento pelo uso.

Movendo dados para a nuvem

Copiar dados para uma instalação de backup é um desafio para os provedores de serviços de DR e para a nuvem. A menos que uma empresa seja nova e tenha poucos dados, ou possa pagar por espelhamento em tempo real e sistemas de alta disponibilidade, a cópia inicial dos dados provavelmente será em disco ou fita.

Esteja movendo dados para uma instalação de serviço gerenciado, a nuvem ou um terceiro, trata-se de comunicações. Basicamente é sobre a quantidade de largura de banda que você tem e o quanto ela muda de lugar.

RPO e RTO

As empresas precisam definir seu objetivo de ponto de recuperação (RPO) – a quantidade de dados que podem perder; e seu objetivo de tempo de recuperação (RTO) – quanto tempo eles podem esperar para que os dados sejam recuperados.

Apenas uma minoria de organizações pode pagar a replicação quase em tempo real ou sistemas de alta disponibilidade. A maioria vai optar por backups pontuais, copiados para a nuvem diretamente ou, mais provavelmente, por meio de um servidor de teste, armazenamento conectado à rede ou dispositivo dedicado.

Os provedores de DR em nuvem podem, no entanto, cobrar taxas diferentes para uma restauração de dados mais rápida, e um RPO menor provavelmente incorrerá em mais custos de armazenamento e transferência de dados por meio de cópias mais frequentes. 

Recuperação de dados e negócios

A recuperação de desastres completa oferece mais do que apenas restauração de dados. Inclui o fornecimento de novos servidores, armazenamento e redes e até mesmo novos PCs e espaço de mesa.

As empresas podem recuperar dados da nuvem para um novo hardware, e algumas o farão. Mas a nuvem pode fornecer novas VMs e até mesmo servidores físicos. Um dos principais pontos da recuperação de desastres na nuvem é que uma empresa pode rapidamente aumentar a capacidade quando necessário.

Usar o mesmo provedor de serviços de nuvem para hospedar backups e sistemas de produção é a opção mais apropriada e remove atrasos na movimentação de dados entre hosts de nuvem ou para um novo local.

Sobre a OST

Desde 1995 no mercado, a OST atende com excelência fornecendo soluções de infraestrutura, auxiliando organizações públicas e privadas a garantirem a continuidade de seus negócios.

Somos especializados em otimizar e atender a necessidade do seu negócio. A OST garante a continuidade de suas operações, fornecendo soluções avançadas de infraestrutura para ambientes de missão crítica com inovação, excelência e qualidade no serviço.