Nuvem Hibrida - Como implementar e gerenciar

As empresas geralmente procuram implantar a infraestrutura de nuvem híbrida porque desejam os benefícios da nuvem pública, mas não estão prontas ou dispostas a desligar o data center legado.

Uma arquitetura de nuvem híbrida, no entanto, não é fácil de implementar e gerenciar. As equipes de TI precisam estar cientes de várias considerações e práticas recomendadas, incluindo rede, custo, gerenciamento e segurança, antes de começarem.

Revise quatro dicas práticas recomendadas para implantação e gerenciamento de nuvem híbrida, visando fortalecer sua estratégia de negócio.

Escolha o modelo de nuvem híbrida certo

Depois de escolher adotar uma abordagem híbrida, decida que tipo de infraestrutura de nuvem híbrida implementar, heterogênea ou homogênea, com base nas necessidades de orçamento, desempenho e gerenciamento.

Uma nuvem híbrida homogênea normalmente é mais barata e mais fácil quando se trata de instalação, operações e gerenciamento. Nesse modelo, um único fornecedor fornece o software, que é projetado para operar o mesmo localmente e na nuvem.

Na prática, o interesse na arquitetura de nuvem híbrida homogênea continua a aumentar. Embora atraentes por sua falta de complexidade, esses modelos de implantação apresentam riscos de dependência do fornecedor.

Por outro lado, uma nuvem híbrida heterogênea é construída com ambientes privados e públicos provenientes de diferentes provedores. A abordagem heterogênea é mais complicada no início, mas os usuários têm mais controle sobre as mudanças de infraestrutura no futuro.

A equipe de TI pode exigir um treinamento mais formal devido às diferenças nos serviços do fornecedor e às complexidades de casar os dois.

Prepare-se para a implementação de um projeto de nuvem híbrida

Depois de selecionar um modelo de infraestrutura de nuvem híbrida, mapeie os fluxos de trabalho para evitar problemas de rede e desempenho. Supere esses desafios comuns com quatro etapas.

Primeiro, defina onde os componentes do aplicativo são hospedados para manter o desempenho alto e os custos baixos. Divida os componentes em três grupos com base em onde eles funcionam melhor: a nuvem pública, o data center ou ambos. Depois que os componentes forem atribuídos, projete fluxos de trabalho e conectividade de rede.

Em seguida, defina e crie os pontos de cruzamento do fluxo de trabalho entre o front-end da nuvem e o back-end do data center. Controle de forma centralizada esses fluxos de trabalho para garantir o desempenho adequado e reter os benefícios da elasticidade da nuvem pública, bem como os benefícios de segurança do data center privado.

Em seguida, gerencie o espaço de endereço VPN. Normalmente, as empresas estabelecem suas VPNs com endereços IP privados e devem definir sub-redes IP para usuários e aplicativos.

Além disso, siga o modelo de contêiner e crie sub-redes privadas para cada aplicativo, com apenas interfaces externas convertidas em um espaço de endereço VPN. Atribua sub-redes a cada componente do aplicativo para garantir que estejam sempre acessíveis, mesmo quando compartilhados por vários aplicativos.

Por último, não é incomum que uma estratégia de nuvem híbrida inclua aplicativos escalonáveis ​​que são executados no data center e na nuvem. Isso pode criar problemas de gerenciamento de endereço, portanto, certifique-se de que seu balanceador de carga esteja equipado para configurações complexas.

Reveja sua estrutura de armazenamento de dados

O truque para uma estratégia de nuvem híbrida bem-sucedida é aprender onde armazenar dados e como recuperá-los, tudo isso minimizando custos. A movimentação de dados pode levar a altas contas de nuvem, portanto, é crucial colocar os dados com sabedoria.

As organizações podem hospedar dados na nuvem, em um data center ou em ambos. A maioria dos aplicativos híbridos usa a nuvem pública como fonte de transação front-end e o data center para processar as transações.

O tráfego de entrada é geralmente gratuito, por isso é mais econômico fazer com que a nuvem receba dados do data center. O aumento da movimentação entre ambientes cria a necessidade de uma conexão maior, e mais cara, entre a nuvem e o data center.

Pense bem na hospedagem do banco de dados. Bancos de dados menores podem ser executados em paralelo em ambos os ambientes, e bancos de dados de histórico podem ser executados na nuvem pública. Mas não é viável colocar sistemas maiores na nuvem porque isso resultaria em altas taxas de saída para o processamento de dados no local.

Altere sua abordagem de segurança

Nuvens híbridas envolvem muitas partes móveis, o que pode torná-las mais suscetíveis a violações do que a nuvem pública sozinha. Aprenda as vulnerabilidades em potencial que são específicas da infraestrutura de nuvem híbrida, como transferências de dados entre a nuvem pública e os recursos locais.

A falta de políticas e processos formais pode criar riscos, unifique os controles de segurança em uma arquitetura de nuvem híbrida, em vez de manter controles separados para ambientes diferentes.

À medida que as empresas embarcam em suas jornadas na nuvem híbrida, pesquisa feita pelo Gartner aponta que elas estão procurando ferramentas que permitam automação, gerenciamento de ciclo de vida, corretagem e governança em ambientes de nuvem.

A mudança no cenário da nuvem trará muitos outros desafios nos próximos anos e está claro que as empresas precisarão de uma gama de ferramentas para ajudá-las a se adaptar. Certamente, nenhum CIO será capaz de ignorar esta importante área.

Para saber mais sobre como a nuvem híbrida pode contribuir para o sucesso do seu negócio, entre em contato com os especialistas da OST.

Sobre a OST

Desde 1995 no mercado, a OST atende com excelência fornecendo soluções de infraestrutura, auxiliando organizações públicas e privadas a garantirem a continuidade de seus negócios.

Somos especializados em otimizar e atender a necessidade do seu negócio. A OST garante a continuidade de suas operações, fornecendo soluções avançadas de infraestrutura para ambientes de missão crítica com inovação, excelência e qualidade no serviço.